terça-feira, 20 de agosto de 2013

Bispos do Rio de Janeiro mostram-se contrários à lei do aborto aprovada por Dilma Rousseff


Na última terça-feira, 13, o Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) fez pública uma carta dirigida aos deputados e senadores do Brasil na qual "querem demonstrar sua profunda consternação com o PLC nº 3/2013, e sua sanção, por não estar, realmente a favor da vida, atentando contra um inocente indefeso no ventre materno".

Assinado também pelo presidente da Regional Leste I, dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, um total de dezoito bispos assinaram a carta, na qual afirma que "os bispos do Regional Leste 1 da CNBB ficaram muito surpresos e perplexos quando o PLC nº 3/2013 foi sancionado sem veto pela presidente Dilma Rousseff no último 1º de agosto".

"O PLC nº 3/2013 foi sancionado pela presidente Dilma Roussef logo após a saída do Papa Francisco do solo brasileiro ao término da JMJ Rio 2013 e trata do atendimento de mulheres vítimas de violência sexual no SUS", afirma a carta.

Tal lei, porém, causou enorme mobilização nas diversas esferas da sociedade brasileira porque na prática aprova a prática do aborto no Brasil. Diversos termos ambíguos compõem-na, chegando até mesmo a obrigar os hospitais do SUS ou particulares a realizar o aborto, sem o direito à objeção de consciência institucional, como a mesma carta afirma: "facilita o aborto no Brasil e acaba obrigando os médicos e hospitais católicos associados ao SUS a realizarem esse crime horrendo".

Confira a carta na íntegra:

Rio de Janeiro, 09 de agosto de 2013.

Exmo. Sr.

Os bispos do Regional Leste I, sem deixarem de prestar sua solidariedade às mulheres vítimas de qualquer violência, sobretudo sexual, querem demonstrar sua profunda consternação com o PLC nº 3/2013, e sua sanção, por não estar, realmente a favor da vida, atentando contra um inocente indefeso no ventre materno. A defesa da vida desde a sua concepção até sua morte natural é um princípio inviolável dentro de uma sociedade que aspira ser humana e justa com todas as pessoas.

O povo brasileiro tem sido espectador nos dois últimos meses - junho e julho - de uma forte e numerosa presença dos jovens nas ruas e praças das principais cidades do país.

Esses rapazes e moças, de modo pacífico e cidadão, têm sido a voz de tantas pessoas que não têm vez numa sociedade cada dia mais manipulada e enganada por grupos ideológicos.

A saúde, a educação, o transporte, a segurança, os valores éticos, têm sido mencionados em programas de governos e em discursos de políticos brasileiros, porém o que a juventude brasileira mais aspira não são palavras, mas atitudes éticas e soluções permanentes para essas questões.

O Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude realizada entre os dias 23 e 28 de julho foi a voz unida às vozes de milhões de jovens brasileiros e estrangeiros que alegraram ainda mais a Cidade Maravilhosa.

A sua voz ecoou nas mentes e nos corações de tantas pessoas que o aplaudiram nesses dias no Rio de Janeiro, e sem omitir outras falas importantes queremos destacar suas palavras no Teatro Municipal no dia 27 de julho passado.

"O futuro exige de nós uma visão humanista da economia e uma política que realize cada vez mais e melhor a participação das pessoas, evitando elitismos e erradicando a pobreza. Que ninguém fique privado do necessário, e que a todos sejam asseguradas dignidade, fraternidade e solidariedade: esta é a via a seguir".

Senhor Senador, a sua presença no Congresso Nacional é para todos nós, sobretudo para o nosso povo, um eco dessas vozes. Conhecemos sua identificação como político católico, reconhecemos que a sua atuação tem sempre presente uma visão de futuro para que o Brasil seja realmente uma nação rica nos valores ético e cristãos.

Os bispos do Regional Leste 1 da CNBB ficaram muito surpresos e perplexos quando o PLC nº3/2013 foi sancionado sem veto pela presidente Dilma Rousseff no último 1º de agosto.

O povo católico gostaria de ter ouvido mais nitidamente a sua voz denunciando, publicamente, nos meios de comunicação a farsa presente nesse projeto que facilita o aborto no Brasil e acaba obrigando os médicos e hospitais católicos associados ao SUS a realizarem esse crime horrendo.

Nós bispos esperávamos uma demonstração mais firme e corajosa de Vª. Excia. na defesa da vida da criança e da mãe, especialmente quando esta depois de sofrer uma violência sexual inadmissível pela sociedade, vai sofrer outra violência, que é o aborto, mesmo quando este se dá como uma possibilidade com a ingestão da pílula do dia seguinte.

Aos nossos políticos católicos reiteramos o nosso respeito e valorização de seu trabalho, mas conscientes do valor da vida humana, deveriam ter demonstrado uma consciência reflexa mais aguçada, pois tal projeto, longe de proteger a mulher da violência sexual, é também uma janela de implantação do aborto em nosso país. Com isso, não queremos desmerecer a obrigatoriedade de atendimento integral às pessoas em situação de violência sexual. Os políticos católicos que receberam votos dos eleitores, na sua maioria católicos, deveriam testemunhar com o seu voto e a sua voz sua posição contrária à "cultura do descarte", apontada pelo Papa Francisco como uma causa do desprezo da vida humana, e irem, corajosamente, contra a maré, pois suas eleições nos fazem esperar uma defesa maior dos princípios cristãos na vida política.

Dom Orani João Tempesta
Presidente do Regional Leste 1
Arcebispo do Rio de Janeiro

Dom Luciano Bergamin
Vice-Presidente do Regional Leste 1
Bispo de Nova Iguaçu

Dom José Francisco Rezende Dias
Secretário do Regional Leste 1
Arcebispo de Niterói

Dom Francesco Biasin 
Bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda 

Dom Tarcísio Nascentes dos Santos
Bispo de Duque de Caxias 

Dom Frei José Ubiratan Lopes
Bispo de Itaguaí 

Dom Frei Elias James Manning
Bispo de Valença 

Dom Roberto Francisco Ferrería Paz 
Bispo de Campos dos Goytacazes 

Dom Edney Gouvêa Mattoso 
Bispo de Nova Friburgo 

Dom Gregório Paixão
Bispo de Petrópolis 

Dom Fernando Áreas Rifan 
Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney 

Dom Antonio Augusto Dias Duarte 
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Edson de Castro Homem
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Pedro Cunha Cruz 
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Nelson Francelino Ferreira
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Paulo Cezar Costa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Luiz Henrique da Silva Brito
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Roque Costa Souza
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro

Fonte: ZENIT